terça-feira, 5 de dezembro de 2017

O RS conquista o primeiro lugar no Prêmio de Incentivo em Ciência, Tecnologia e Inovação para o SUS

Fonte: FAPERGS


Nesta quarta-feira (29), o Rio Grande do Sul foi anunciado como o Estado vencedor do Prêmio de Incentivo em Ciência, Tecnologia e Inovação para o SUS, promovido pelo Ministério da Saúde, conquistando o 1º lugar com o projeto “Novas Tecnologias para Estudo da Tuberculose” da Professora Maria Lúcia Rosa Rosseti da ULBRA e com participação da Fundação Estadual de Produção e Pesquisa em Saúde - FEPPS e da Universidade Federal do Rio Grande - FURG. Os vencedores foram anunciados no evento “Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde 2017: conectando pesquisas e soluções”, que tem prosseguimento até esta quinta-feira (30), em São Paulo (SP).

A avaliação dos trabalhos nas categorias acadêmicas (Trabalho científico publicado, Tese de doutorado e Dissertação de mestrado) é realizada em duas fases: a primeira por especialistas e a segunda por comissão julgadora. A categoria Experiência exitosa do PPSUS também teve duas fases de avaliação, a primeira de responsabilidade das FAPs e Secretarias Estaduais de Saúde de cada UF e a segunda por comissão julgadora. A categoria Produtos e inovação em saúde foi avaliada em fase única pela comissão julgadora, junto às avaliações da segunda fase das demais categorias.

Os prêmios variam entre R$20 mil a R$50 mil. O prêmio está na décima sexta edição e contabilizou 522 projetos inscritos em cinco categorias: Trabalho Científico Publicado; Tese de Doutorado; Dissertação de Mestrado; Produtos e Inovação em Saúde e Experiência Exitosa do Programa Pesquisa para o SUS: gestão compartilhada em saúde – PPSUS.

Nesta edição, na categoria PPSUS, indicados pelas Fundações de Amparo à Pesquisa (FAPs), concorreram pesquisadores de 18 Estados: Acre, Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Pará, Pernambuco, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

As Chamadas PPSUS têm a proposta de aplicar a pesquisa científica, tecnológica e de inovação na melhoria do Sistema Único de Saúde (SUS) e, consequentemente, no aumento da qualidade de vida da população. O objetivo do Programa é apoiar e fortalecer o desenvolvimento de projetos de pesquisa que busquem soluções para as prioridades de saúde e atendam as peculiaridades e especificidades de cada Unidade Federativa, fortalecendo a Política Nacional de Saúde.

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Manejo da Coinfecção Tuberculose-HIV (TB-HIV)

Fonte: UNA-SUS



Produzido pela Secretaria Executiva da UNA-SUS, o curso é ofertado pela Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (SVS/MS). O objetivo é fornecer subsídios para que os profissionais de saúde atendam integralmente, e de forma qualificada, as pessoas coinfectadas por tuberculose e HIV. Para isso, o curso aborda tanto aspectos etiológicos, como aspectos psicossociais e clínicos da associação entre as doenças.

É composto por três unidades, que tratam de aspectos de apoio psicossocial e manejo clínico de coinfecção, com foco especial no diagnóstico de tuberculose nas pessoas que tem HIV, e a organização de serviços para atendimento de pessoas coinfectadas por TB-HIV. Além de uma unidade dedicada a casos clínicos interativos que simulam situações reais.

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde, a tuberculose é a doença infecciosa que mais mata pessoas com HIV. Por isso, é necessário tratar as doenças de forma conjunta.

  •  Matrículas: podem ser realizadas até 20 de dezembro, pelo link
  •  Público-alvo: Profissionais de saúde da Atenção Básica e demais interessados no tema.
  •  Carga horária: 60 horas
  •  Critérios de certificação: É necessário completar os dois quizzes e os três casos clínicos, obtendo uma nota mínima de 90 pontos